<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d8680301\x26blogName\x3dcuidado+de+si\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://curadise.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://curadise.blogspot.com/\x26vt\x3d6413740273964997763', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

[332] coisas interessantes

30.10.05
Se este livro for publicado em Portugal dará origem , eventualmente, a um debate interessante ou, pelo contrário, o consulado português da Psicanálise não será incomodado?

Siga-se a discussão e leia-se a ficha técnica. A autora é Catherine Meyer e a editora Les Arènes.

Nada de novo. O debate já vem de há muito. Mas a questão continua premente: a psicanálise é eficaz? E quais são os estudos que o demonstram? É a única abordagem terapêutica capaz de compreender o ser humano em profundidade? Pela voz de historiadores, filósofos, psicólogos, médicos estudiosos e, até, pacientes, faz-se o balanço de um século de freudismo. Por certos aspectos, faz lembrar o livro - interessante e cheio de humor - que James Hillman e Michael Ventura publicaram em 1993 e no qual constatavam que em 100 anos de psicoterapia o mundo foi de mal a pior. Não sei se este é o modo melhor para debater sobre o mundo da saúde mental e das abordagens psicoterapêuticas. Agita as águas, isso sem qualquer dúvida. Dados empíricos já os há: a psicoterapia, de um modo geral, é uma intervenção eficaz que provoca mudança positiva nas pessoas que dela usufruem (há inúmeros estudos e meta-análises que o comprovam); várias abordagens terapêuticas (comportamentistas, cognitivistas, experienciais, humanistas...) foram submetidas a uma análise dos seus processos e resultados e, mais uma vez, comprova-se que são eficazes. Podemos dizer o mesmo da psicanálise? Leia-se Le Livre Noir de la Psychanalyse.

[331] um cenário de requiem

A propósito de terramotos (1755) e santos (1 de Novembro).


1. Um cenário de requiem é um potencial contexto para nos transformarmos: se soubermos que amanhã (para a semana/daqui a um mês) morremos, o que muda, hoje, na nossa vida?
2. Para criarmos este cenário é necessário um desbaste prévio: desafiar a convicção inconsciente de que somos imortais.
3. Na realidade, não somos imortais, mas amiúde vamos na vida como se fôssemos cá estar para sempre.
4. O problema é que um cenário de requiem provoca um medo aterrador... e a ilusão da imortalidade é uma defesa implacável contra ele.
5. «It took a scenario that he was going to die for Fred to wake up. It took that kind of shock for his life to be transformed. Maybe that's what needs to happen for all of us, for everyone who lives on Earth. That could be what a requiem scenario offer us».

(livremente inspirado no 1º capítulo do livro de Senge, P., Scharmer, O., Jaworski, J. & Flowers, B. (2005), Presence. An Exploration of Profound Change in People, Organizations, and Society, Nova Iorque, Currency Books) .



(michael keller, drop of water )

[330] filosofia de vida



Aquele que tem os pés bem assentes no chão está parado
(Jostein Gaarder, A biblioteca mágica)

[329] um ano da vida de um blogue



À perecível memória
dos afectos
ergo a taça
destas sílabas
(T.R. Lopes)

[328] lido num caderno de bolso

14.10.05
[asha menghrajani, chariots of the gods]


Todos temos
o direito e o dever
de prestar atenção
aos nossos sentimentos
a respeito das coisas e
de admiti-los
se não aos outros
pelo menos a nós próprios

[327] escrito num caderno de bolso

no dia em que nasceres meu filho
sabe que tudo será diferente
a tua vinda fendeu para sempre a história
mas sabe também que tudo será igual
o teu lugar no mundo é único
juntamente com biliões de únicos
que nascem e morrem numa corrente vital sem fim
quero que conheças o amor das terras
que pisares
e tenhas memória do bem e da beleza
das pessoas
e quero que vertas lágrimas
pela Lua, carreiros, árvores e
animais...
quero que tenhas um grande amor
por tudo o que viver


(Coimbra, 25 de Julho de 2005)

[326] MICRO-CAUSA

4.10.05
O Paulo Gorjão lança o repto e o Cuidado de Si associa-se... Não há coisa melhor do que deslindar os mistérios do regime.


PODE O JORNAL «PÚBLICO» SFF ESCLARECER COM QUEM É QUE FÁTIMA FELGUEIRAS MANTEVE CONTACTOS NO SECRETARIADO NACIONAL DO PS? QUANDO É QUE ESSES CONTACTOS TIVERAM LUGAR? QUEM É QUE INFORMOU JAIME GAMA PREVIAMENTE DA LIBERTAÇÃO DE FÁTIMA FELGUEIRAS? Esta solicitação, perfeitamente razoável tendo em conta as notícias que surgiram no jornal, está a ser feita diariamente por uma lista crescente de blogues: A Fonte, A Grande Loja dos Trezentos, Abrupto, Akiagato, Belogue Civico, Blasfémias, Bloguítica, Carambas!, Contador de Gaivotas, Contrasenso, EN101, Ideias em Desalinho, Jornalismo e Comunicação, Laranja com Canela, Linha do Horizonte, Minha Rica Casinha, O Homem do Leme, O Insubmisso, O Plagiário, Observador Cósmico, Portugal dos Pequeninos, Revisão da Matéria, Sentidos Percebidos, Tela Abstracta e Tese & Antitese. (A lista será actualizada sempre que se detectem novas adesões ao pedido de esclarecimento.) O Público não pode exigir a terceiros uma conduta que os seus leitores não lhe possam igualmente exigir a si. O Público tem a obrigação de dar uma explicação aos seus leitores. Cá estaremos, todos os dias, para a exigir.


Site Meter Listed on Blogwise Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons License.