<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d8680301\x26blogName\x3dcuidado+de+si\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://curadise.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://curadise.blogspot.com/\x26vt\x3d6413740273964997763', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

[257] sugestões para o estio que passa

Um CD. Pela frescura que emana, por ser de quem é e pela beleza que cria em tudo o que toca, literalmente, sugiro que nestas férias se ouça o último CD de Brian Eno, Another day on earth. É bom quando alguém nos recorda que cada dia que passa é mais um dia na terra. Dá-nos a sensação do caminho percorrido e do que ainda falta percorrer. Não só on earth.




Um LUGAR. A música de Eno também pode servir de banda sonora ao périplo que sugiro pela serra de S. Mamede: sobretudo, Castelo de Vide e Marvão. É um Alentejo alto, alcantilado e sempre caiado. De casas engastadas na crista dos montes e gente afável. Se, ao entardecer, conseguir ouvir Caught between (a 5ª música do CD) enquanto vai de carro pela N 246-1 (a meio caminho entre as duas vilas) e se depara com o troço ladeado de árvores de tronco caiado, considere a possibilidade de se sentir invadido por grande serenidade.



Um LIVRO. Alain de Botton, A arte de viajar, Lisboa, Dom Quixote, 2004. Por nos ensinar como se viaja e como se olha para o que nos rodeia. O capítulo sobre a posse da beleza (VII) é estimulante. Alain sugere-nos um possível lema para as nossas férias: «que não sejam para matar o tempo ou para se distrair, mas umas férias no rasto da beleza e com vagar» (pág. 216).
« Home | Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »

» Enviar um comentário


Site Meter Listed on Blogwise Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons License.