<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d8680301\x26blogName\x3dcuidado+de+si\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://curadise.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://curadise.blogspot.com/\x26vt\x3d6413740273964997763', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

[233] amar alguém


(mona kuhn )


Amar alguém
é uma longa viagem –

penhascos, quedas de água e momentos escuros
inesperados, dilatados
perímetro de florestas,
relâmpagos por vezes
sobre o silêncio tão vasto do mar

e estradas sobrelevadas, gritos

avenidas subitamente mergulhadas
numa luz desconhecida.

Amar um, mil, todos
é como segurar um mapa contra o vento.
Nunca se consegue mas o coração
puseram-mo no centro do peito
para este elevado, maravilhoso fracasso.

Nos planaltos de cada noite
eis-me com as explicações e as mãos viradas ao contrário
da poesia:
não lhes faças mal, são teus, não os mandes embora.

(Davide Rondoni, traduzido por José J.C. Serra)
« Home | Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »

4:15 da tarde

O que escolheste é bonito, muito bonito, poemas de um amor adulto e sereno,esse sentimento a que todos almejamos, sentimento ideal mas,meu Caro Serra... é daqueles que mais amamos que vêm os mais gravosos danos...
É isso Ilustre, e sem querer invadir ou abusar, ou induzir a conclusoes erradas digo:
È isso, amar é um tumulto, principalmente quando amamos as pessoas...os seres humanos.
..amar um ideal,
amar uma missao,
uma causa...
um ritmo de vida,
a natureza,
os animais,
as flores,
a água,
o mar...
o próximo...
... de um modo altruista,
todo esse amor é bom e traz-nos paz...
...mas amar pessoas concretas
...esse amor faz doer um pouco...
nada de grave,
nada de que não se recupere
...mas vendo bem as coisas...
não é amar que causa dor,
não é o gesto...
é não entender o sentido da palavra amar...
obrigada pela enesima vez pelas imagens e pelos poemas...
cá vai um que fui à procura:

A vida

É vão o amor, o ódio, ou o desdém;
Inútil o desejo e o sentimento...
Lançar um grande amor aos pés de alguém
O mesmo é que lançar flores ao vento!

Todos somos no mundo «Pedro Sem»,
Uma alegria é feita dum tormento,
Um riso é sempre o eco dum lamento,
Sabe-se lá um beijo de onde vem!

A mais nobre ilusão morre... desfaz-se...
Uma saudade morta em nós renasce
Que no mesmo momento é já perdida...

Amar-te a vida inteira eu não podia.
A gente esquece sempre o bem de um dia.
Que queres, meu Amor, se é isto a vida!

Florbela Espanca    



» Enviar um comentário


Site Meter Listed on Blogwise Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons License.