<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d8680301\x26blogName\x3dcuidado+de+si\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://curadise.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://curadise.blogspot.com/\x26vt\x3d6413740273964997763', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

[11] O cheiro das religiões

No livro O senhor Ibrahim e as flores do Corão, de Eric-Emmanuel Schmitt, encontrei uma passagem preciosa sobre um inusual critério de diferenciação entre as religiões: o cheiro! O personagem principal, o senhor Ibrahim, é muçulmano, por isso, prefere o cheiro da mesquita. Ora leiam e depois reflictam sobre o cheiro da vossa fé!

Jogávamos a muitos jogos. Ele fazia-me entrar nos monumentos religiosos com uma venda nos olhos para que eu adivinhasse a religião, pelo cheiro.
- Aqui cheira a círios, é católico.
- Aqui é Santo António.
- Aqui cheira a incenso, é ortodoxo.
- É verdade, é Santa Sofia.
- E aqui cheira a chulé, é muçulmano. Não, na verdade, que raio de odor...
- O quê?! Mas é a Mesquita Azul! Um local onde podes sentir o odor corporal não é suficientemente bom para ti? Nunca cheiras dos pés? Enoja-te um local de oração feito para os homens, com homens presentes? Tens mesmo ideias de parisiense! Para mim, este perfume de meias, tranquiliza-me. Digo para comigo que não valho mais do que o meu vizinho. Sinto o meu cheiro, o dos outros e, portanto, já me sinto melhor!

« Home | Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »

» Enviar um comentário


Site Meter Listed on Blogwise Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons License.